GESTÃO CULTURAL

GESTÃO CULTURAL é um termo relativamente recente no cenário cultural brasileiro.
Quando falamos de Gestão Cultural estamos tratando de procedimentos administrativos e operacionais, mas não se resume apenas a isto. 


A GESTÃO CULTURAL pressupõe a gerência de processos

no campo da Cultura e da Arte, mas também vai muito além.

 

GESTÃO CULTURAL portanto, articula o planejamento, a operacionalização e a mediação de ações, programas e projetos culturais. É o planejamento de eventos, de processos e de políticas em cultura. Se ocupa com a operacionalização técnica, financeira, física e humana. Com a mediação de agentes diversos: governamentais, não-governamentais e comunitários; empresariais, cooperativados ou informais; produtores, viabilizadores e fruidores. É tudo isso.

Talvez ainda um pouco mais.

FOTOGRAFIA - TEATRO - POESIA - MÚSICA - PATRIMONIO CULTURAL - ARTE DIGITAL - MODA

ARTESANATO - CINEMA - ARTES VISUAIS - CIRCO - LITERATURA - DANÇA - MUSEUS - RADIO E TV 

festa-junina-de-sao-joao-de-caruaru-pernambuco-8.jpeg
Boi1.jpg

CULTURA NACIONAL

 

A produção cultural no Brasil e o universo da chamada Economia Criativa respondem atualmente por aproximadamente 4,6% do PIB nacional.

 

Em todo o planeta, 5% de todas as exportações realizadas são relacionados direta ou indiretamente com a chamada industria da produção cultural, sendo hoje a terceira maior industria do mundo em termos de geração de emprego e renda.

 

Mas apesar de toda esta importância no contexto da economia, a produção cultural ainda sofre com uma série de obstáculos e impecilhos.

 

Entre estes impecilhos e dificuldades destacamos o preconceito da sociedade, que de forma geral não percebe a utilidade e a função social da produção cultural, e desta forma, passa a tratar todos aqueles que atuam neste setor como profissionais substituiveis e dispensáveis, da mesma forma que passam a tratar esta atividade como uma atividade superflua e descartável na escala das prioridades da sociedade.

 

Por outro lado, apesar do grande número de grupos artisticos, bandas, artistas plásticos, bailarinos, escritores, museus, cineastas, artesões, músicos e propostas culturais relacionadas ao universo da cultura popular, ainda hoje no Brasil existe um grande deficit no número de gestores culturais, ou seja, não existem gestores culturais em número suficiente para atender toda esta demanda. Não existem profissionais suficientes para uma atuação efetiva com a gestão e a administração da cultura.

 

Esta carência tem diversas origens e motivações, mas principalmente esta relacionada também ao processo de formação destes gestores.

 

Mais da metade dos atuais gestores culturais em atividade no Brasil tiveram sua formação forjada apenas na prática do dia a dia, sem a possibilidade de acesso a um embasamento teórico substancial ou sem um estudo e uma formação prévia mais efetiva e adequada.

 

A própria discussão e reflexão sobre a formação e qualificação dos gestores culturais no Brasil é algo que teve início somente na década de 90, há pouco mais de 20 anos.

 

 

DIMENSÃO SOCIAL E POLÍTICA

 

Mas ao contrário de outros importantes setores e segmentos produtivos da sociedade, a produção cultural não apresenta apenas sua importância pautada na dimensão econômica, uma vez que a atividade cultural não gera apenas empregos e renda. Não é este o único benefício da produção cultural para a sociedade.

 

A produção cultural e o desenvolvimento de projetos e ações deste segmento trazem para a sociedade brasileira uma série de outras vantagens, tais como a construção da identidade cultural, a geração do chamado pertencimento, além do empoderamento, importantes aspectos dentro de sua dimensão social e política e que contribuem de forma significativa com a integração social e com o fortalecimento da sociedade.

 

Além disso, a produção cultural ajuda na construção do simbólico, na disseminação de valores e conhecimentos. A produção cultural é fundamental na consolidação das idéias e dos ideais e é sem dúvida uma ferramenta indispensável no processo de educação e formação do povo brasileiro.

 

Não podemos esquecer também que a produção cultural apresenta a chamada transversalidade, que é a capacidade de interagir com toda a estrutura da sociedade.

 

Desta forma, o desenvolvimento dos projetos culturais muitas vezes contribuem e fortalecem as ações de educação, o turismo, a cidadania, questões de ordem social, a saúde, o esporte, a política e como já foi dito, muitas vezes os projetos e as ações culturais interagem e auxiliam no desenvolvimento da industria e do comércio, com impacto significativo na economia de comunidades, cidades, regiões e do País como um todo.

 

QUIXOTE ART & EVENTOS

 

Por tudo isso e diante deste cenário, valorizar a Produção Cultural no Brasil é o principal compromisso e objetivo da Quixote Art & Eventos.

 

Assim, atuamos com a promoção e a realização de cursos e treinamentos ligados a Gestão Cultural, bem como, desenvolvemos treinamentos e outras atividades de formação ligadas ao universo da Arte, da Cultura e da Comunicação, sobretudo, visando auxiliar na qualificação e na capacitação daqueles que atuam nestes segmentos.

 

Também buscamos promover a difusão das informações e gerar o estímulo a reflexão sobre estas dificuldades e sobre esta realidade através de nosso site  e desta forma buscamos sempre contribuir com a construção das políticas públicas do setor cultural e com a participação efetiva dos gestores e produtores culturais.

 

A Quixote Art & Eventos não é apenas uma empresa que atua no setor da produção cultural. É um grupo de pessoas que acredita acima de tudo que a a arte e a cultura podem trazer a transformação necessária da sociedade e auxiliar na construção de um mundo melhor.

Cursos diversos relacionados ao universo da Gestão Cultural.

PLATAFORMA

CURSOS EAD